quinta-feira, 28 de maio de 2009

premeira vez de uma mulher


A primeira vez é sempre especial. Pode ser o primeiro beijo, a primeira turma de amigos da escola, o primeiro namoro, primeiro sutiã... Com o sexo não seria diferente. Criamos tanta expectativa que acabamos transformando a idéia da primeira transa num monstro de sete cabeças.

Calma. As coisas não são tão complicadas assim. Ter dúvidas é normal e ficar apreensivo também. Não saber o que te espera na primeira transa é igual àquele primeiro dia da escola que você ainda não conhece ninguém e não tem amigos. Nas semanas seguintes, você vai perdendo o medo de ficar sozinho na hora do intervalo, pois conhece e se enturma com novos colegas.

Com o sexo é a mesma coisa. Não adianta querer que a primeira vez seja perfeita. Somente aos poucos é que você conhece e descobre como e o que fazer. Para isso, estar ao lado de uma pessoa de quem você goste (e que goste de você) ajuda bastante. Assim, não vai ter aquela vergonha de contar os medos, dúvidas e aflições. A intimidade torna o sexo mais fácil e natural.

Mas, lembre-se de que na primeira vez também se pode engravidar e pegar doenças sexualmente transmissíveis, as chamadas DSTs. Por isso, tem que usar camisinha sempre! As meninas devem ainda procurar o ginecologista para que ele indique o melhor método anticoncepcional.

Para cada menina, perder a virgindade é algo diferente. Você pode até conversar com suas amigas sobre isso e achar semelhanças entre as situações, mas nunca é igual. O que cada uma sente também é pessoal e imprevisível. Mas, uma coisa é certa: quando a menina chega perto da hora da primeira vez, ela está cheia de dúvidas e uma sensação de ansiedade e medo de algo que a gente ela nem sabe bem o que é.

O ginecologista Eliezer Berenstein, que clinica em São Paulo, e é autor do livro "Inteligência Hormonal da Mulher", conta que as meninas que o procuram logo depois de perder a virgindade o fazem por três razões. Sentimento de culpa ou medo é a primeira delas. "Elas querem saber se fizeram com a pessoa certa", conta o ginecologista. O médico explica que geralmente as meninas perdem a virgindade por curiosidade, desejo e hormônios.

Marcela*, de 22 anos, perdeu a virgindade com 21 com um cara que ela conhecia, mas não era apaixonada. "Nós transamos e rolou tudo. Sangrou um pouquinho no dia e no dia seguinte. Nós nunca mais nos vimos e sabíamos que só tínhamos usado um ao outro9". Não adianta perguntar para o médico, a única pessoa que pode saber quem é o menino certo para transar é você.

Algumas meninas tomam a decisão rapidamente e por impulso e transam na hora em que sentem vontade, outras preferem ficar esperando o menino ideal – e algumas vezes acabam se desapontando. Apesar disso, o Dr. Eliezer conta que, nos últimos 15 anos, a geração de meninas filhas de mulheres liberais têm uma sexualidade mais saudável e mais bem resolvida. O antigo problema de dizer que já tinha transado mudou radicalmente. "Hoje muitas meninas têm vergonha de serem virgens", diz o médico.

O segundo motivo para as garotas irem ao gineco, após a primeira vez, é o medo de ter engravidado. O dr. Edilberto Silva de Macedo, de Sorocaba, conta que a procura de anticoncepcionais é o maior motivo para a procura do médico. "Elas querem tomar a pílula, mas eu sempre oriento sobre o fato de esse método não prevenir contra doenças". O dr. Eliezer, por outro lado, chama a atenção para muitas meninas que têm informação sobre como não engravidar, mas não acreditam na eficiência de cem por cento de nenhum método.

Outra questão que preocupa as meninas e as leva ao ginecologista são perguntas quanto ao ato sexual propriamente dito. "É normal não sangrar ou não doer?", é a pergunta mais freqüente. Débora*, de 21 anos, teve essa dúvida. Ela não sangrou e seu namorado achou que ela não fosse mais virgem. "Eu fiquei super mal porque ele brigou comigo e, logo depois, perguntei à minha mãe se era normal. Ela me disse que nem toda mulher sangra". Já Mariana*, de 22 anos, não teve sangramento nem dor. “Só em uma das três tentativas doeu, mas na tentativa que valeu, não doeu nada nem sangrou", conta.

O dr. Eliezer é muito procurado, também, por meninas que querem saber se continuam virgens. Ele explica: "Ser virgem é subjetivo, elas precisam da confirmação de um médico para terem certeza de que perderam mesmo a virgindade". Nesse caso, as meninas estão mais preocupadas com a perda física da virgindade – ou seja, com o rompimento do hímem – já que sabem que, de fato, tiveram um ato sexual.

É importante lembar que o que muda de fato na vida da menina depois de perder a virgindade é o modo como ela se relaciona com os outros e com ela mesma e não o rompimento de uma membrana. Às vezes, a atenção dada à virgindade física é exagerada e algumas meninas chegam a trocar todos os tipos de carícias com o namorado, mas não topam transar só para se manterem virgens. O ideal é ficar esperta e não ficar se reprimindo.
* - Os nomes foram alterados a pedido das entrevistadas.

Atualmente, os jovens têm a primeira relação sexual mais cedo do que há alguns anos. Segundo Carmita Abdo, coordenadora do Projeto Sexualidade da USP, as meninas hoje têm a primeira relação por volta dos 15 anos (pode ser um pouco mais ou menos). O curioso é que houve uma diminuição na idade em quatro anos nas últimas quatro décadas! Há quatro gerações, as mulheres geralmente perdiam a virgindade com 19, 20 anos. Isso é uma mudança significativa, se observarmos a situação dos garotos: nos últimos quarenta anos, a idade para a primeira relação diminuiu somente 11 meses.

Isso se deve à criação da pílula anticoncepcional, o que proporcionou uma maior liberdade feminina. Estes dados não são para criar pressão, mas para ajudar a lembrar que o melhor sexo é aquele feito com vontade e certeza. Tomando os devidos cuidados, não tem com o que se preocupar com o ato em si. A transa é uma atividade natural do ser humano, e cada um tem a hora certa para experimentá-la.


Cuidados e dicas para uma estréia inesquecível

Sexo é bom, mas também exige cuidados. Para as meninas, é fundamental que procurem um médico ginecologista de confiança para mais indicações. Somente ele pode receitar o método anticoncepcional apropriado. O médico também é uma ótima fonte de informações. Com certeza, a maior parte das dúvidas sumirá se você se abrir com ele.

Tanto os garotos como as garotas precisam se informar sobre o uso da camisinha, única barreira para DSTs (doença sexualmente transmissíveis). Hoje, a informação é muito maior do que há alguns anos. Procure, tenha curiosidade e fique em dia com os assuntos que fazem parte do seu dia-a-dia.

Dicas:

Tanto a decisão de transar quanto o momento certo para isso deve ser consenso do casal. Fazer as coisas por pressão nunca é bom.

Meninos: caprichem bastante nas preliminares, para que suas namoradas fiquem bastante excitadas (a lubrificação delas facilitará a penetração). No mais, tenham calma, e não deixe que a penetração vire uma "obrigação", uma necessidade: se não rolar, tudo bem, rola na próxima.

3 comentários on "premeira vez de uma mulher"

ana on 26 de outubro de 2010 08:34 disse...

eu tenho 16 anos ,quero perder a virgindade.mas eu tou com medo o que eu faço?????????

Matheus on 1 de janeiro de 2012 16:55 disse...

KKKKKK calma pessoa, relaxe aí, você leu isso tudo e ainda tá com medo? desculpa mais está é com fogo :/

kewzinho on 3 de agosto de 2013 22:22 disse...

Eu tenho 15 anos e perdi minha virgindade com uma pessoa maravilhosa nao me arrependo de nada e se vc perde e gostar da pessoa e a pessoa gostar de vc fike tranquilo (a) que vai dar tudo certo

Postar um comentário

Deixe seu Recado ou sua Sugestão

Hora Certa

Barra de videos

Loading...
 

Meus Blogs Favoritos

Seguidores

Bem Vindos

A todos espero que gostem

Mundo Da Mulher Copyright 2008 Karla Danielly Designed by Karla Image by Karla;s Notez